Hipismo

Nos Jogos Paralímpicos, o Hipismo é disputado apenas na disciplina Adestramento. Apesar de registros do treinamento de cavalos de guerra datarem de séculos antes de Cristo e do esporte fazer parte do programa olímpico desde a década de 1910, a competição para pessoas com deficiência demorou um pouco mais para iniciar.

As primeiras competições de Hipismo paralímpico acontecem por volta de 1970, na Inglaterra e em países da Escandinávia. Quase 15 anos depois, o esporte aparece pela primeira vez nos Jogos na edição de 1984, em Nova Iorque e Stoke Mandeville, na Inglaterra. No entanto, a pouca popularidade o levou a ficar afastado até 1996, em Atlanta.

A partir de 2006, o Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês) transferiu a responsabilidade pelos regulamentos para a Federação Internacional de Hipismo (FEI, em francês), o que serviu para popularizar ainda mais a disciplina em competições como o Mundial de 2007, realizado em Hatpury, na Inglaterra, que reuniu nada menos que 132 atletas de 34 países.

Competem no Hipismo atletas com cinco diferentes tipos de deficiência, que são classificadas nos graus I a e I b (usuários de cadeiras de rodas com pouco ou nenhum equilíbrio do tronco, debilitação de funções em todos os quatro membros, mas bom funcionamento dos membros superiores), II (predominantemente cadeirantes ou pessoas com comprometimentos severos no tronco), III (com moderada debilitação unilateral e total perda de vista em ambos os olhos) e IV (debilitação de um ou mais membros, ou algum grau de deficiência visual).

Dependendo de onde o participante se enquadrar, fará rotinas de adestramento diferentes com o cavalo – no grau III, ele compete no passo, trote e galope, por exemplo. Nas provas, cavaleiros e amazonas competem juntos, sem distinção por sexo. Outra característica do esporte é que não só os competidores recebem medalhas, mas também os cavalos.

Seja nas competições individuais ou por equipes – com três ou quatro participantes por time, e um deles obrigatoriamente pertencendo ao grau I ou II -, os competidores devem executar três reprises, sendo uma Freestyle (em que os atletas combinam seus movimentos com música), mostrando o controle do cavalo. O desempenho é avaliado por uma banca de juízes, e o conjunto com a melhor nota é o vencedor.