Mapa de transportes

Conheça as opções de transporte que ligarão os locais de competição em 2016.

fechar anterior seguinte
  • Arena da Juventude

    BK MP WF

    A Arena da Juventude abrigará as provas de esgrima do pentatlo moderno, além de algumas partidas do basquetebol Olímpico. Nos Jogos Paralímpicos, a instalação será palco da esgrima em cadeira de rodas. Capacidade bruta de assentos: 5.000

  • Arena de Vôlei de Praia

    BV

    Construída temporariamente em um dos cartões-postais do Rio, a Praia de Copacabana, a instalação será o palco perfeito para acomodar as competições do vôlei de praia nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Capacidade bruta de assentos: 12.000

  • Campo Olímpico de Golfe

    GO

    O Campo Olímpico de Golfe, em construção na Reserva de Marapendi, na região da Barra, está localizado a aproximadamente cinco quilômetros da Vila Olímpica e Paralímpica. A instalação será palco das disputas de golfe, que retorna aos Jogos Olímpicos após 112 anos. Será convertido em um campo público após a realização do evento. Capacidade bruta de assentos: 25.000

  • Centro Aquático de Deodoro

    MP

    O Centro Aquático de Deodoro será palco das provas de natação do pentatlo moderno. As outras provas do esporte acontecerão em mais duas instalações: na Arena da Juventude (esgrima) e no Estádio de Deodoro (hipismo e evento combinado). Capacidade bruta de assentos: 2.000

  • Centro Olímpico de Hipismo

    ED EC ES EQ

    O Centro Olímpico de Hipismo fica localizado no núcleo do Parque Olímpico de Deodoro próximo ao Centro Olímpico de Tiro. Construído para os Jogos Pan-americanos Rio 2007, o complexo tem área aproximada de 1.000.000,00m² e receberá as provas do hipismo Olímpico e Paralímpico. Capacidade bruta de assentos: 20.000

  • Centro Olímpico de Hóquei

    HO

    O Centro Olímpico de Hóquei sediará as partidas do hóquei sobre grama nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Capacidade bruta de assentos: 10.000 (quadra principal); 5.000 (quadra secundária)

  • Centro Olímpico de Tiro

    SH SH

    Construído para os Jogos Pan-americanos Rio 2007, o Centro Olímpico de Tiro foi o palco escolhido para sediar as competições de tiro esportivo tanto nos Jogos Olímpicos como nos Paralímpicos em 2016. Capacidade bruta de assentos: 1.000 (preliminares tiro ao prato); 2.000 (finais tiro ao prato); 1.600 (finais tiro); 1.000 (alvo a 10m); 750 (alvo a 50m); 500 (alvo a 25m)

  • Estádio Mineirão

    FB

    Construído em 1965 e regularmente utilizado para grandes competições nacionais e internacionais de futebol, o Mineirão será totalmente reformado para atender aos requisitos técnicos da Copa do Mundo da FIFA de 2014. O estádio fica localizado em uma importante região da cidade, ladeado pela Lagoa da Pampulha e por famosos monumentos projetados por Oscar Niemeyer, constituindo um belo palco para competições olímpicas. A instalação fica também estrategicamente localizada nas proximidades dos principais hotéis de Belo Horizonte, além de ser facilmente acessível através das principais vias da cidade.

    Legado: A reforma do estádio será de extrema importância para a cidade, uma vez que ele funciona como sede de dois dos principais clubes de futebol mineiros e ainda recebe a seleção brasileira em grandes jogos e torneios internacionais. As intervenções estão também intimamente ligadas à restauração da região da Pampulha, com monumentos históricos importantes.

    Esportes/disciplinas olímpicas: futebol

    Esportes/disciplinas paralímpicas: -

    Uso atual: estádio de futebol

    Uso pós-Jogos: estádio de futebol

    Capacidade bruta de assentos (Jogos Olímpicos): 74.000

     

  • Estádio Nacional de Brasília

    FB

    O Estádio Nacional de Brasília fica localizado a aproximadamente uma hora e meia de voo do Rio de Janeiro. A cidade está listada como patrimônio da humanidade e apresenta mais de 100 prédios projetados por Oscar Niemeyer. Originalmente construído em 1974, o estádio será totalmente reformado para atender aos requisitos técnicos da Copa do Mundo da FIFA de 2014, se transformando em uma excelente instalação para o futebol Olímpico.

    Legado: O estádio é regularmente utilizado para competições nacionais e internacionais de futebol, shows e outros grandes eventos. As reformas no estádio, a serem concluídas para a Copa do Mundo da FIFA de 2014, serão importantes para qualificar ainda mais um dos principais estádios brasileiros, além de permitir que os moradores da Capital Federal compartilhem o espírito Olímpico em 2016.

    Esportes/disciplinas olímpicos: futebol

    Esportes/disciplinas paralímpicos: -

    Uso atual: estádio de futebol

    Uso pós-Jogos: estádio de futebol

    Capacidade bruta de assentos (Jogos Olímpicos): 76.000

  • Estádio Olímpico J. Havelange

    AT AT

    Palco das provas do atletismo Olímpico e Paralímpico, o estádio foi construído para os Jogos Panamericanos Rio 2007 e terá sua capacidade permanentemente ampliada de 45.000 para 60.000 espectadores para os Jogos Rio 2016. Capacidade bruta de assentos: 60.000

  • Estádio da Fonte Nova

    FB

    O Estádio da Fonte Nova, em Salvador, fica a duas horas e meia de voo do Rio de Janeiro. Antiga capital do Brasil, a cidade é reconhecidamente rica em cultura e história e um importante destino turístico internacional. Originalmente construído em 1951, o estádio será totalmente reformado para a Copa do Mundo da FIFA de 2014.

    Legado: Após a reforma para a Copa do Mundo da FIFA de 2014, o Estádio da Fonte Nova irá se transformar no principal estádio da região nordeste. Dois dos mais tradicionais clubes brasileiros, Bahia e Vitória, irão se beneficiar das novas instalações. O nordeste, que sedia um grande número de eventos culturais, também irá se beneficiar das melhorias nessa instalação.

    Esportes/disciplinas olímpicos: futebol

    Esportes/disciplinas paralímpicos: -

    Uso atual: estádio de futebol

    Uso pós-Jogos: estádio de futebol

    Capacidade bruta de assentos (Jogos Olímpicos): 60.000

  • Estádio da Lagoa

    CF RO CA RO

    A Lagoa Rodrigo de Freitas está localizada no coração da cidade, cercada por belas montanhas, pela Floresta da Tijuca e pela estátua do Cristo Redentor. Nos Jogos Rio 2016, será o palco perfeito para os atletas Olímpicos e Paralímpicos do remo, da canoagem velocidade e da paracanoagem. Capacidade bruta de assentos: 14.000

  • Estádio de Deodoro

    MP RU FT

    Construído ao lado da Arena da Juventude e do Centro Aquático, o Estádio de Deodoro será palco do hipismo e do evento combinado, duas das cinco provas que completam o circuito do pentatlo moderno. A proximidade entre as três instalações permitirá que atletas e espectadores possam acompanhar de perto todas as etapas do esporte com facilidade. Além disso, a instalação receberá ainda as partidas Olímpicas de rugby e Paralímpicas do futebol de 7. Capacidade bruta de assentos: 20.000

     

  • Estádio de São Paulo

    FB

  • Forte de Copacabana

    CR AQ TR TR

    Nos Jogos Olímpicos, o encontro do Forte de Copacabana com o mar de Copacabana marcará o ponto de partida para os atletas das maratonas aquáticas, do triatlo e do paratriatlo.  Já os percursos de ciclismo e corrida estendem-se ao longo da praia, garantindo uma atmosfera de grande vibração criada pelos milhares de espectadores na orla. Capacidade bruta de assentos: 5.000

  • Live Sites

    Fazer do Rio 2016 um evento sem fronteiras, levar a experiência olímpica para todos os povos, especialmente para jovens do Brasil e do mundo, é a proposta dos Live Sites – grandes espaços em áreas públicas, em diversas cidades, utilizados para promover a festa do esporte através da exibição de filmes, realização de eventos e atividades para todas as idades.
    A ideia envolve 15 cidades, sendo pelo menos duas em cada continente. A associação de tecnologia de última geração na transmissão a atividades interativas faz do maior evento esportivo do planeta uma celebração global, ao vivo, onde você estiver.

  • Marina da Glória

    SA SA

    A instalação fica localizada próxima ao Parque do Flamengo, no centro da cidade, tendo como pano de fundo o Pão de Açúcar e o Corcovado. Nos Jogos Rio 2016, receberá as regatas Olímpicas e Paralímpicas. Capacidade bruta de assentos: 10.000

  • Parque do Flamengo

    AT CR AT CR

    O Parque do Flamengo se estende ao longo da orla da Baía de Guanabara, fornecendo um belo palco para as provas da marcha atlética, do ciclismo e do paraciclismo de estrada nos Jogos Rio 2016. Capacidade bruta de assentos: 3.800

  • Sambódromo

    AT AR AR

    Durante os Jogos Rio 2016, o Sambódromo do Rio se tornará palco do torneio Olímpico e Paralímpico de tiro com arco, além do ponto de partida e chegada da maratona. Capacidade bruta de assentos: 30.000 maratona; 6.000 tiro com arco

     

  • Maracanã

    Centro Aquático Julio de Lamare

    WP

    Localizado dentro do núcleo Maracanã, que inclui também o Maracanã e o Maracanãzinho, o Centro Aquático Julio de Lamare receberá as partidas do polo aquático nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Capacidade bruta de assentos: 3.000

  • Maracanã

    Maracanã

    FB

    Além do torneio Olímpico de futebol, o Maracanã também será o palco das cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Capacidade bruta de assentos: 78.600

  • Maracanã

    Maracanãzinho

    VB

    Palco tradicional do voleibol Olímpico, a instalação fica localizada dentro do núcleo do Maracanã, que inclui também o Maracanã e o Centro Aquático Julio de Lamare. Capacidade bruta de assentos: 11.800

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Arena Carioca 1

    BK WB WR

    A Arena Carioca 1 será construída no núcleo do Parque Olímpico da Barra para receber as competições de basquetebol dos Jogos Olímpicos, além das disputas Paralímpicas de basquetebol em cadeira de rodas e rugby em cadeira de rodas. Após os Jogos, será parte do Centro Olímpico de Treinamento. Capacidade bruta de assentos: 16.000

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Arena Carioca 2

    JU WR BO

    A Arena Carioca 2 será construída para o Rio 2016 no núcleo do Parque Olímpico da Barra para sediar as disputas Olímpicas do judô, luta greco-romana e estilo livre, além das competições da bocha nos Jogos Paralímpicos. Após os Jogos, será parte do Centro Olímpico de Treinamento. Capacidade bruta de assentos: 10.000

     

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Arena Carioca 3

    FE TK JU

    A Arena Carioca 3 será construída no núcleo do Parque Olímpico da Barra, onde vai sediar as competições Olímpicas de taekwondo e esgrima, além das disputas do judô Paralímpico.Capacidade bruta de assentos: 10.000

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Arena do Futuro

    HB GB

    Totalmente temporária, a Arena do Futuro está localizada no núcleo do Parque Olímpico da Barra e será palco do handebol nos Jogos Olímpicos e do goalball nos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Após os Jogos, será desmontada e formará quatro novas escolas públicas municipais. Capacidade bruta de assentos: 12.000

     

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Arena Olímpica do Rio

    GA GR GT WB

    Concluída para os Jogos Pan-americanos Rio 2007, a Arena foi projetada para ser o palco perfeito para a ginástica. Nos Jogos Rio 2016, receberá não somente das três modalidades do esporte - artística, rítmica e trampolim -, bem como os atletas Paralímpicos do basquete em cadeira de rodas. Capacidade bruta de assentos: 12.000

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Centro Aquático Maria Lenk

    SY DV

    O Centro Aquático Maria Lenk foi construído para os Jogos Pan-americanos Rio 2007. Nos Jogos Olímpicos, receberá as disputas dos saltos ornamentais e do nado sincronizado. Capacidade bruta de assentos: 5.300

     

     

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Centro Olímpico de Tênis

    TE FB WT

    Um total de 16 quadras serão construídas numa área de 9 hectares para compor o Centro Olímpico de Tênis dos Jogos Rio 2016. A instalação será palco do torneio Olímpico de tênis, assim como as competições de tênis em cadeira de rodas dos Jogos Paralímpicos. Após a conclusão dos Jogos, nove quadras serão mantidas como parte do Centro Olímpico de Treinamento, deixando um sólido legado para o esporte, além de oferecer ao Brasil uma instalação de competição para a realização de grandes eventos do esporte. Capacidade bruta de assentos: 10.000 (quadra central);  5.000 (quadra 1); 3.000 (quadra 2); 250 (quadras)

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Estádio Aquático Olímpico

    SW WP SW

    O Estádio Aquático Olímpico vai receber as competições de natação Olímpica e Paralímpica, além da fase final do polo aquático nos Jogos Olímpicos. Capacidade bruta de assentos: 18.000
     
     
     

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Velódromo Olímpico do Rio

    CT CT

    O Velódromo está localizado dentro do núcleo do Parque Olímpico da Barra, onde sediará as provas do ciclismo de pista nos Jogos Olímpicos e do paraciclismo de pista nos Jogos Paralímpicos. Capacidade bruta de assentos: 5.800

  • Parque Radical do Rio

    Centro Olímpico de BMX

    CB

    O Centro Olímpico de BMX será construído para sediar as competições desta modalidade do ciclismo e ficará localizado dentro do Parque Olímpico de Deodoro, em uma área conhecida como Parque Radical. Uma pista permanente será construída, com o percurso entre 300 e 400m. Capacidade bruta de assentos: 7.500

  • Parque Radical do Rio

    Estádio de Canoagem Slalom

    CS

    O Estádio de Canoagem Slalom será construído para receber as competições do esporte e ficará localizado dentro do Parque Olímpico de Deodoro, em uma área conhecida como Parque Radical. Um percurso permanente, com 280 metros de corredeiras. Capacidade bruta de assentos: 8.000

     

  • Parque Radical do Rio

    Pista de Mountain Bike

    CM

    A Pista de Mountain Bike ficará localizado dentro do Parque Olímpico de Deodoro, em uma área conhecida como Parque Radical. Será construído um percurso para esta modalidade do ciclismo com cerca de 6.000 metros de extensão, além de diferenças significativas de altura e um circuito que permitirá aos competidores passar pela plateia mais de uma vez durante a prova. Capacidade bruta de assentos: 5.000 + 20.000 em pé

     

  • Riocentro

    Pavilhão 2

    WL PO

    Com área total de 13.000 m², o Pavilhão 2 do Riocentro será a instalação do levantamento de peso e do halterofilismo. Capacidade bruta de assentos: 6.500

  • Riocentro

    Pavilhão 3

    TT TT

    No Pavilhão 3 do Riocentro, será implantado um conceito pioneiro composto por uma grande quadra central, proporcionando uma atmosfera única para atletas e espectadores que acompanharão de perto todas as disputas Olímpicas e Paralímpicas do tênis de mesa. Capacidade bruta de assentos: 6.500

  • Riocentro

    Pavilhão 4

    BD

    O Pavilhão 4 do Riocentro tem um pé direito de 12m e um moderno sistema de ar condicionado de baixa velocidade, proporcionando as melhores condições para receber as competições do badminton dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Com área total de 25.000m², essa instalação também irá acomodar todas as áreas de treinamento do esporte. Capacidade bruta de assentos: 6.500

  • Riocentro

    Pavilhão 6

    BX VS

    Um pavilhão temporário, que será construído em uma área de 14.000m² do Riocentro, foi o palco escolhido para sediar as disputas eletrizantes do boxe Olímpico e do voleibol sentado Paralímpico. Capacidade bruta de assentos: 9.000

  • PRINCIPAIS ESTRADAS

    Avenida Brasil

    Conectando as diferentes regiões do Rio de Janeiro, como a Baixada Fluminense, a Zona Norte, a Zona Oeste e o Centro, a Avenida Brasil possui 58 quilômetros de extensão, onde estão ligados 27 bairros cariocas, partindo de São Cristóvão, na Zona Portuária até o bairro de Santa Cruz, na Zona Oeste. Neste trajeto, inclusive, é possível acessar o bairro de Deodoro, região que receberá instalações olímpicas dos Jogos Rio 2016.

    A avenida possui, ainda, interseções com outras importantes vias no Estado, como a Ponte Rio-Niterói, a Linha Vermelha, a Linha Amarela, a Rodovia Washington Luís, a Rodovia Presidente Dutra e a Rodovia Rio-Santos, tornando-se uma das principais portas de entrada na cidade.

  • PRINCIPAIS ESTRADAS

    Linha Amarela

    A Linha Amarela é uma importante via expressa da cidade do Rio de Janeiro, denominada oficialmente como Avenida Governador Carlos Lacerda. Com 20 km de extensão, a via liga a Barra da Tijuca à Zona Norte, passando por 17 bairros cariocas.

    Além de facilitar o acesso aos locais de competição da Região Barra, é também pela Linha Amarela que se chega ao bairro Engenho de Dentro, onde está localizada outra instalação olímpica: o Estádio Olímpico João Havelange, conhecido também como Engenhão. A Linha Amarela possui ainda integração com a Avenida Brasil e a Linha Vermelha.

    Para mais informações, acesse: www.lamsa.com.br 

  • PRINCIPAIS ESTRADAS

    Linha Vermelha

    Conhecida popularmente como “Linha Vermelha”, a Via Expressa Presidente João Goulart é o principal acesso das Zonas Norte e Sul da cidade ao Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (Galeão) e à Ilha do Fundão.

    Ao longo dos seus 22 quilômetros de extensão, a via interliga a cidade do Rio de Janeiros aos municípios de Duque de Caxias e São João de Meriti. A Linha Vermelha pode ser acessada ainda pela Avenida Brasil e é um dos principais acessos para se chegar aos locais de competição da Região Maracanã. 

  • PRINCIPAIS ESTRADAS

    Ponte Rio Niterói

    Reconhecida como a maior ponte do Hemisfério Sul, atingindo até 72 metros de altura no trecho do vão central, a Ponte Presidente Costa e Silva, mais conhecida como Ponte Rio-Niterói, possui 13 quilômetros de extensão. Além disso, mais de 10 quilômetros em rampas e viadutos para acesso levam os moradores de outros município a região Maracanã e às Zonas Norte, Sul, Oeste e do Centro da cidade.

    Construída sobre a Baía de Guanabara, interligando os municípios do Rio de Janeiro e Niterói, a ponte é também a continuação da BR-101, sendo a principal ligação da cidade carioca com o leste e nordeste do estado, principalmente a Região dos Lagos e o litoral norte fluminense.

    Para mais informações sobre a Ponte Rio-Niterói, acesse: www.ponte.com.br

     

  • PRINCIPAIS ESTRADAS

    Rodovia Presidente Dutra

    A Rodovia Presidente Dutra possui 402 quilômetros de extensão, ligando o Rio de Janeiro à outra importante região metropolitana do país: São Paulo. Somente no Rio de Janeiro, a rodovia tem extensão de 171 km e pode ser acessada pela Avenida Brasil. Outras 34 cidades também são cortadas pela rodovia, que faz parte do trajeto da BR-116, a principal ligação entre o Nordeste e o Sul do Brasil.

    Para mais informações sobre a rodovia, acesse: http://www.novadutra.com.br/

  • FERROVIAS

    Ramal Belford Roxo

    Administrado pela Supervia, o ramal Belford Roxo é uma das cinco linhas férreas que operam na cidade do Rio de Janeiro, levando a 18 estações localizadas em bairros da Zona Norte e Baixada Fluminense.

    Com 27 quilômetros de extensão, o ramal tem a Central do Brasil como ponto de partida, passando por São Cristóvão, Triagem, Jacarezinho, Del Castilho, Pilares, Tomás Coelho, Cavalcante, Mercadão de Madureira, Rocha Miranda, Honório Gurgel, Barros Filho, Costa Barros, S.J de Meriti / Pavuna, Vila Rosali, Agostinho Porto e Coelho da Rocha, até chegar à última estação, em Belford Roxo.

    Para mais informações, acesse: www.supervia.com.br 

  • FERROVIAS

    Ramal Deodoro

    Administrado pela Supervia, o ramal Deodoro é uma das cinco linhas férreas que operam na cidade do Rio de Janeiro, levando a 19 estações localizadas em bairros da Zona Oeste e Zona Norte. Por este ramal, é possível chegar até duas regiões que receberão competições olímpicas, a Região Maracanã e a Região Deodoro.

    Com 22 quilômetros de extensão, o ramal tem a Central do Brasil como ponto de partida, passando pela Praça da Bandeira, São Cristóvão, Maracanã, Mangueira, São Francisco Xavier, Riachuelo, Sampaio, Engenho Novo, Méier, Engenho de Dentro, Piedade, Quintino, Cascadura, Madureira, Oswaldo Cruz, Bento Ribeiro e Marechal Hermes, até chegar à última estação, em Deodoro.

    Para mais informações, acesse: www.supervia.com.br 

  • FERROVIAS

    Ramal Japeri

    Administrado pela Supervia, o ramal Japeri é uma das cinco linhas férreas que operam na cidade do Rio de Janeiro, levando a 20 estações localizadas em bairros da Zona Norte e da Baixada Fluminense. Por este ramal, é possível chegar até duas regiões que receberão competições olímpicas, a Região Maracanã e a Região Deodoro.

    Com 62 quilômetros de extensão, o ramal tem a Central do Brasil como ponto de partida, passando por São Cristóvão, Silva Freire, Engenho de Dentro, Cascadura, Madureira, Deodoro, Ricardo de Albuquerque, Anchieta, Olinda, Nilópolis, Edson Passos, Mesquita, Presidente Juscelino, Nova Iguaçu, Comendador Soares, Austin, Queimados e Engenheiro Pedreira, até chegar a Japeri.

    Para mais informações, acesse: www.supervia.com.br

  • FERROVIAS

    Ramal Santa Cruz

    Administrado pela Supervia, o ramal Santa Cruz é uma das cinco linhas férreas que operam na cidade do Rio de Janeiro, levando a 24 estações localizadas na Zona Oeste. Por este ramal, é possível chegar até duas regiões que receberão competições olímpicas, a Região Maracanã e a Região Deodoro.

    Com 54 quilômetros de extensão, o ramal tem a Central do Brasil como ponto de partida, passando por São Cristóvão, Silva Freire, Engenho de Dentro, Cascadura, São Francisco Xavier, Madureira, Vila Militar, Deodoro, Magalhães Bastos, Realengo, Padre Miguel, Guilherme da Silveira, Bangu, Senador Camará, Santíssimo, Augusto Vasconcelos, Campo Grande, Benjamin do Monte, Inhoaíba, Cosmos, Paciência e Tancredo Neves, até chegar à ultima estação, em Santa Cruz.

    Para mais informações, acesse: www.supervia.com.br 

  • FERROVIAS

    Ramal Saracuruna

    Administrado pela Supervia, o ramal Saracuruna é uma das cinco linhas férreas que operam na cidade do Rio de Janeiro, levando a 20 estações localizadas em bairros da Zona Norte e da Baixada Fluminense.

    Com 34 quilômetros de extensão, o ramal tem a Central do Brasil como ponto de partida, passando por São Cristóvão, Manguinhos, Triagem, Bonsucesso, Ramos, Olaria, Penha, Penha Circular, Brás de Pina, Cordovil, Parada de Lucas, Vigário Geral, Duque de Caxias, Corte 8, Gramacho, Campos Elíseos e Jardim Primavera, até chegar à última estação, em Saracuruna.

    Para mais informações, acesse: www.supervia.com.br 

  • METRÔ

    Linha 1

    O metrô da cidade possui duas linhas, que atravessam o Rio da Zona Norte à Zona Sul da cidade. Ao longo dos seus 16 quilômetros de extensão, a Linha 1 liga os bairros da Tijuca a Ipanema em 19 pontos de parada, passando pelas estações Sães Peña, São Francisco Xavier, Afonso Pena, Estácio, Praça Onze, Central, Presidente Vargas, Uruguaiana, Carioca, Cinelândia, Glória, Catete, Largo do Machado, Flamengo, Botafogo, Cardeal Arcoverde, Siqueira Campos, Cantagalo e General Osório.

    Partindo da estação Siqueira Campos, é possível ainda realizar a integração com o Metrô na Superfície, que leva seus passageiros Barra da Tijuca e Gávea, região que também recebe ônibus vindo da estação Botafogo.

    Pela Linha 1 do metrô, será possível acessar os locais de competição de duas regiões diferentes – Barra e Copacabana.

    Para mais informações, acesse: www.metrorio.com.br 

  • METRÔ

    Linha 2

    O metrô da cidade possui duas linhas, que atravessam o Rio da Zona Norte à Zona Sul da Cidade. Ao longo dos seus 30 quilômetros de extensão, a Linha 2 liga os bairros da Pavuna ao Centro da cidade em 19 pontos de parada, passando pelas estações Pavuna, Engenheiro Rubens Paiva, Acari Fazenda Botafogo, Coelho Neto, Colégio, Irajá, Vicente de Carvalho, Thomaz Coelho, Eng. da Rainha, Inhaúma, Nova América/Del Castilho, Maria da Graça, Triagem, Maracanã, São Cristóvão, Cidade Nova e Central.

    Da estação Nova America/Del Castilho, é possível ainda realizar a integração com o Metrô na Superfície, que leva seus passageiros até a Barra da Tijuca e Jacarepaguá.
    Pela Linha 2 do metrô, será possível acessar os locais de competição de duas regiões diferentes – Barra e Maracanã.

    Para mais informações, acesse: www.metrorio.com.br 

  • METRÔ

    Linha 4

    Com 16 quilômetros de extensão, a Linha 4 do metrô do Rio de Janeiro ligará a Barra da Tijuca a Ipanema. Serão seis estações no trajeto: Nossa Senhora da Paz, Jardim de Alah, Antero de Quental, Gávea, São Conrado e Jardim Oceânico, que permitirá a conexão com a Linha 1 já existente.

    Prevista para entrar em operação em 2016, a Linha 4 do metrô permitirá realizar o trajeto Barra-Ipanema em apenas 15 minutos.

    Saiba mais sobre o projeto em http://www.metrolinha4.com.br 

  • BRT

    BRT Transbrasil

    Ao longo dos seus 32 quilômetros de extensão, a TransBrasil promete diminuir o tempo de viagem entre o bairro de Deodoro e o Aeroporto Santos Dumont, no Centro. No projeto da TransBrasil, a histórica Avenida Brasil vai receber uma série de melhorias viárias, onde serão construídos 30 mil metros quadrados em pontes e viadutos.

    Um sistema para ônibus de alta capacidade, os chamados Ligeirões (BRT - sigla para Bus Rapid Transit, no inglês) foi criado com o objetivo de encurtar distâncias e diminuir o tempo de deslocamento em toda a cidade. O sistema ainda contará com outros três corredores: TransCarioca, TransOeste e TransOlímpica. Juntos, formarão um anel viário de alta capacidade que vai unir a cidade.

    Saiba mais sobre o projeto em www.cidadeolimpica.com.br 

  • BRT

    BRT Transcarioca

    Ao longo dos seus 39 quilômetros de extensão, a TransCarioca vai cortar 14 bairros do subúrbio carioca em 45 estações, desde a Barra da Tijuca até o Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador. Este será o primeiro corredor de alta capacidade a cortar transversalmente a cidade, interligando Barra da Tijuca, Curicica, Ilha do Governador, Taquara, Tanque, Praça Seca, Campinho, Madureira, Vaz Lobo, Vicente de Carvalho, Vila da Penha, Penha, Olaria e Ramos.

    Um sistema para ônibus de alta capacidade, os chamados Ligeirões (BRT - sigla para Bus Rapid Transit, no inglês) foi criado com o objetivo de encurtar distâncias e diminuir o tempo de deslocamento em toda a cidade. O sistema ainda contará com outros três corredores: TransOeste, TransBrasil e TransOlímpica. Juntos, formarão um anel viário de alta capacidade que vai unir a cidade.

    Saiba mais sobre o projeto em www.cidadeolimpica.com.br 

  • BRT

    BRT Transoeste

    Ao longo dos seus 56 km de extensão, a TransOeste tem como objetivo reduzir em 50% o tempo de deslocamento entre a Barra da Tijuca e Campo Grande, com 53 pontos de paradas desde o Jardim Oceânico– próximo à futura estação da Linha 4 do Metrô – até as estações da Supervia em Campo Grande. A via corta os bairros da Barra da Tijuca, Santa Cruz, Campo Grande, Paciência, Sepetiba, Inhoaíba, Cosmos, Guaratiba e Recreio dos Bandeirantes.

    Um sistema para ônibus de alta capacidade, os chamados Ligeirões (BRT - sigla para Bus Rapid Transit, no inglês) foi criado com o objetivo de encurtar distâncias e diminuir o tempo de deslocamento em toda a cidade. O sistema ainda contará com outros três corredores: TransCarioca, TransBrasil e TransOlímpica. Juntos, formarão um anel viário de alta capacidade que vai unir a cidade.

    Saiba mais sobre o projeto em www.cidadeolimpica.com.br 

  • BRT

    BRT Transolímpica

    Ao longo dos seus 23 km de extensão, a TransOlímpica vai ligar os dois principais polos de competições da cidade: Deodoro e Barra da Tijuca. Seu projeto prevê a construção, ao longo do trajeto, de 18 estações para o BRT, além de dois terminais, que vão cortar os bairros da Barra, Recreio dos Bandeirantes, Camorim, Curicica, Taquara, Jardim Sulacap, Magalhães Bastos, Vila Militar e Deodoro. O corredor não terá sinais de trânsito em seu trajeto e fará ligação com a TransCarioca, na Taquara, e com a TransOeste, no Recreio dos Bandeirantes, além de se interligar a outros modais, como os trens da Supervia.

    Um sistema para ônibus de alta capacidade, os chamados Ligeirões (BRT - sigla para Bus Rapid Transit, no inglês) foi criado com o objetivo de encurtar distâncias e diminuir o tempo de deslocamento em toda a cidade. O sistema ainda contará com outros três corredores: TransCarioca, TransBrasil e TransOlímpica. Juntos, formarão um anel viário de alta capacidade que vai unir a cidade.

    Saiba mais sobre o projeto em www.cidadeolimpica.com.br 

fechar anterior seguinte
  • Arena da Juventude

    BK MP WF

    A Arena da Juventude abrigará as provas de esgrima do pentatlo moderno, além de algumas partidas do basquetebol Olímpico. Nos Jogos Paralímpicos, a instalação será palco da esgrima em cadeira de rodas. Capacidade bruta de assentos: 5.000

  • Arena de Vôlei de Praia

    BV

    Construída temporariamente em um dos cartões-postais do Rio, a Praia de Copacabana, a instalação será o palco perfeito para acomodar as competições do vôlei de praia nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Capacidade bruta de assentos: 12.000

  • Campo Olímpico de Golfe

    GO

    O Campo Olímpico de Golfe, em construção na Reserva de Marapendi, na região da Barra, está localizado a aproximadamente cinco quilômetros da Vila Olímpica e Paralímpica. A instalação será palco das disputas de golfe, que retorna aos Jogos Olímpicos após 112 anos. Será convertido em um campo público após a realização do evento. Capacidade bruta de assentos: 25.000

  • Centro Aquático de Deodoro

    MP

    O Centro Aquático de Deodoro será palco das provas de natação do pentatlo moderno. As outras provas do esporte acontecerão em mais duas instalações: na Arena da Juventude (esgrima) e no Estádio de Deodoro (hipismo e evento combinado). Capacidade bruta de assentos: 2.000

  • Centro Olímpico de Hipismo

    ED EC ES EQ

    O Centro Olímpico de Hipismo fica localizado no núcleo do Parque Olímpico de Deodoro próximo ao Centro Olímpico de Tiro. Construído para os Jogos Pan-americanos Rio 2007, o complexo tem área aproximada de 1.000.000,00m² e receberá as provas do hipismo Olímpico e Paralímpico. Capacidade bruta de assentos: 20.000

  • Centro Olímpico de Hóquei

    HO

    O Centro Olímpico de Hóquei sediará as partidas do hóquei sobre grama nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Capacidade bruta de assentos: 10.000 (quadra principal); 5.000 (quadra secundária)

  • Centro Olímpico de Tiro

    SH SH

    Construído para os Jogos Pan-americanos Rio 2007, o Centro Olímpico de Tiro foi o palco escolhido para sediar as competições de tiro esportivo tanto nos Jogos Olímpicos como nos Paralímpicos em 2016. Capacidade bruta de assentos: 1.000 (preliminares tiro ao prato); 2.000 (finais tiro ao prato); 1.600 (finais tiro); 1.000 (alvo a 10m); 750 (alvo a 50m); 500 (alvo a 25m)

  • Estádio Mineirão

    FB

    Construído em 1965 e regularmente utilizado para grandes competições nacionais e internacionais de futebol, o Mineirão será totalmente reformado para atender aos requisitos técnicos da Copa do Mundo da FIFA de 2014. O estádio fica localizado em uma importante região da cidade, ladeado pela Lagoa da Pampulha e por famosos monumentos projetados por Oscar Niemeyer, constituindo um belo palco para competições olímpicas. A instalação fica também estrategicamente localizada nas proximidades dos principais hotéis de Belo Horizonte, além de ser facilmente acessível através das principais vias da cidade.

    Legado: A reforma do estádio será de extrema importância para a cidade, uma vez que ele funciona como sede de dois dos principais clubes de futebol mineiros e ainda recebe a seleção brasileira em grandes jogos e torneios internacionais. As intervenções estão também intimamente ligadas à restauração da região da Pampulha, com monumentos históricos importantes.

    Esportes/disciplinas olímpicas: futebol

    Esportes/disciplinas paralímpicas: -

    Uso atual: estádio de futebol

    Uso pós-Jogos: estádio de futebol

    Capacidade bruta de assentos (Jogos Olímpicos): 74.000

     

  • Estádio Nacional de Brasília

    FB

    O Estádio Nacional de Brasília fica localizado a aproximadamente uma hora e meia de voo do Rio de Janeiro. A cidade está listada como patrimônio da humanidade e apresenta mais de 100 prédios projetados por Oscar Niemeyer. Originalmente construído em 1974, o estádio será totalmente reformado para atender aos requisitos técnicos da Copa do Mundo da FIFA de 2014, se transformando em uma excelente instalação para o futebol Olímpico.

    Legado: O estádio é regularmente utilizado para competições nacionais e internacionais de futebol, shows e outros grandes eventos. As reformas no estádio, a serem concluídas para a Copa do Mundo da FIFA de 2014, serão importantes para qualificar ainda mais um dos principais estádios brasileiros, além de permitir que os moradores da Capital Federal compartilhem o espírito Olímpico em 2016.

    Esportes/disciplinas olímpicos: futebol

    Esportes/disciplinas paralímpicos: -

    Uso atual: estádio de futebol

    Uso pós-Jogos: estádio de futebol

    Capacidade bruta de assentos (Jogos Olímpicos): 76.000

  • Estádio Olímpico J. Havelange

    AT AT

    Palco das provas do atletismo Olímpico e Paralímpico, o estádio foi construído para os Jogos Panamericanos Rio 2007 e terá sua capacidade permanentemente ampliada de 45.000 para 60.000 espectadores para os Jogos Rio 2016. Capacidade bruta de assentos: 60.000

  • Estádio da Fonte Nova

    FB

    O Estádio da Fonte Nova, em Salvador, fica a duas horas e meia de voo do Rio de Janeiro. Antiga capital do Brasil, a cidade é reconhecidamente rica em cultura e história e um importante destino turístico internacional. Originalmente construído em 1951, o estádio será totalmente reformado para a Copa do Mundo da FIFA de 2014.

    Legado: Após a reforma para a Copa do Mundo da FIFA de 2014, o Estádio da Fonte Nova irá se transformar no principal estádio da região nordeste. Dois dos mais tradicionais clubes brasileiros, Bahia e Vitória, irão se beneficiar das novas instalações. O nordeste, que sedia um grande número de eventos culturais, também irá se beneficiar das melhorias nessa instalação.

    Esportes/disciplinas olímpicos: futebol

    Esportes/disciplinas paralímpicos: -

    Uso atual: estádio de futebol

    Uso pós-Jogos: estádio de futebol

    Capacidade bruta de assentos (Jogos Olímpicos): 60.000

  • Estádio da Lagoa

    CF RO CA RO

    A Lagoa Rodrigo de Freitas está localizada no coração da cidade, cercada por belas montanhas, pela Floresta da Tijuca e pela estátua do Cristo Redentor. Nos Jogos Rio 2016, será o palco perfeito para os atletas Olímpicos e Paralímpicos do remo, da canoagem velocidade e da paracanoagem. Capacidade bruta de assentos: 14.000

  • Estádio de Deodoro

    MP RU FT

    Construído ao lado da Arena da Juventude e do Centro Aquático, o Estádio de Deodoro será palco do hipismo e do evento combinado, duas das cinco provas que completam o circuito do pentatlo moderno. A proximidade entre as três instalações permitirá que atletas e espectadores possam acompanhar de perto todas as etapas do esporte com facilidade. Além disso, a instalação receberá ainda as partidas Olímpicas de rugby e Paralímpicas do futebol de 7. Capacidade bruta de assentos: 20.000

     

  • Estádio de São Paulo

    FB

  • Forte de Copacabana

    CR AQ TR TR

    Nos Jogos Olímpicos, o encontro do Forte de Copacabana com o mar de Copacabana marcará o ponto de partida para os atletas das maratonas aquáticas, do triatlo e do paratriatlo.  Já os percursos de ciclismo e corrida estendem-se ao longo da praia, garantindo uma atmosfera de grande vibração criada pelos milhares de espectadores na orla. Capacidade bruta de assentos: 5.000

  • Live Sites

    Fazer do Rio 2016 um evento sem fronteiras, levar a experiência olímpica para todos os povos, especialmente para jovens do Brasil e do mundo, é a proposta dos Live Sites – grandes espaços em áreas públicas, em diversas cidades, utilizados para promover a festa do esporte através da exibição de filmes, realização de eventos e atividades para todas as idades.
    A ideia envolve 15 cidades, sendo pelo menos duas em cada continente. A associação de tecnologia de última geração na transmissão a atividades interativas faz do maior evento esportivo do planeta uma celebração global, ao vivo, onde você estiver.

  • Marina da Glória

    SA SA

    A instalação fica localizada próxima ao Parque do Flamengo, no centro da cidade, tendo como pano de fundo o Pão de Açúcar e o Corcovado. Nos Jogos Rio 2016, receberá as regatas Olímpicas e Paralímpicas. Capacidade bruta de assentos: 10.000

  • Parque do Flamengo

    AT CR AT CR

    O Parque do Flamengo se estende ao longo da orla da Baía de Guanabara, fornecendo um belo palco para as provas da marcha atlética, do ciclismo e do paraciclismo de estrada nos Jogos Rio 2016. Capacidade bruta de assentos: 3.800

  • Sambódromo

    AT AR AR

    Durante os Jogos Rio 2016, o Sambódromo do Rio se tornará palco do torneio Olímpico e Paralímpico de tiro com arco, além do ponto de partida e chegada da maratona. Capacidade bruta de assentos: 30.000 maratona; 6.000 tiro com arco

     

  • Maracanã

    Centro Aquático Julio de Lamare

    WP

    Localizado dentro do núcleo Maracanã, que inclui também o Maracanã e o Maracanãzinho, o Centro Aquático Julio de Lamare receberá as partidas do polo aquático nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Capacidade bruta de assentos: 3.000

  • Maracanã

    Maracanã

    FB

    Além do torneio Olímpico de futebol, o Maracanã também será o palco das cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Capacidade bruta de assentos: 78.600

  • Maracanã

    Maracanãzinho

    VB

    Palco tradicional do voleibol Olímpico, a instalação fica localizada dentro do núcleo do Maracanã, que inclui também o Maracanã e o Centro Aquático Julio de Lamare. Capacidade bruta de assentos: 11.800

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Arena Carioca 1

    BK WB WR

    A Arena Carioca 1 será construída no núcleo do Parque Olímpico da Barra para receber as competições de basquetebol dos Jogos Olímpicos, além das disputas Paralímpicas de basquetebol em cadeira de rodas e rugby em cadeira de rodas. Após os Jogos, será parte do Centro Olímpico de Treinamento. Capacidade bruta de assentos: 16.000

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Arena Carioca 2

    JU WR BO

    A Arena Carioca 2 será construída para o Rio 2016 no núcleo do Parque Olímpico da Barra para sediar as disputas Olímpicas do judô, luta greco-romana e estilo livre, além das competições da bocha nos Jogos Paralímpicos. Após os Jogos, será parte do Centro Olímpico de Treinamento. Capacidade bruta de assentos: 10.000

     

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Arena Carioca 3

    FE TK JU

    A Arena Carioca 3 será construída no núcleo do Parque Olímpico da Barra, onde vai sediar as competições Olímpicas de taekwondo e esgrima, além das disputas do judô Paralímpico.Capacidade bruta de assentos: 10.000

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Arena do Futuro

    HB GB

    Totalmente temporária, a Arena do Futuro está localizada no núcleo do Parque Olímpico da Barra e será palco do handebol nos Jogos Olímpicos e do goalball nos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Após os Jogos, será desmontada e formará quatro novas escolas públicas municipais. Capacidade bruta de assentos: 12.000

     

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Arena Olímpica do Rio

    GA GR GT WB

    Concluída para os Jogos Pan-americanos Rio 2007, a Arena foi projetada para ser o palco perfeito para a ginástica. Nos Jogos Rio 2016, receberá não somente das três modalidades do esporte - artística, rítmica e trampolim -, bem como os atletas Paralímpicos do basquete em cadeira de rodas. Capacidade bruta de assentos: 12.000

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Centro Aquático Maria Lenk

    SY DV

    O Centro Aquático Maria Lenk foi construído para os Jogos Pan-americanos Rio 2007. Nos Jogos Olímpicos, receberá as disputas dos saltos ornamentais e do nado sincronizado. Capacidade bruta de assentos: 5.300

     

     

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Centro Olímpico de Tênis

    TE FB WT

    Um total de 16 quadras serão construídas numa área de 9 hectares para compor o Centro Olímpico de Tênis dos Jogos Rio 2016. A instalação será palco do torneio Olímpico de tênis, assim como as competições de tênis em cadeira de rodas dos Jogos Paralímpicos. Após a conclusão dos Jogos, nove quadras serão mantidas como parte do Centro Olímpico de Treinamento, deixando um sólido legado para o esporte, além de oferecer ao Brasil uma instalação de competição para a realização de grandes eventos do esporte. Capacidade bruta de assentos: 10.000 (quadra central);  5.000 (quadra 1); 3.000 (quadra 2); 250 (quadras)

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Estádio Aquático Olímpico

    SW WP SW

    O Estádio Aquático Olímpico vai receber as competições de natação Olímpica e Paralímpica, além da fase final do polo aquático nos Jogos Olímpicos. Capacidade bruta de assentos: 18.000
     
     
     

  • PARQUE OLÍMPICO DA BARRA

    Velódromo Olímpico do Rio

    CT CT

    O Velódromo está localizado dentro do núcleo do Parque Olímpico da Barra, onde sediará as provas do ciclismo de pista nos Jogos Olímpicos e do paraciclismo de pista nos Jogos Paralímpicos. Capacidade bruta de assentos: 5.800

  • Parque Radical do Rio

    Centro Olímpico de BMX

    CB

    O Centro Olímpico de BMX será construído para sediar as competições desta modalidade do ciclismo e ficará localizado dentro do Parque Olímpico de Deodoro, em uma área conhecida como Parque Radical. Uma pista permanente será construída, com o percurso entre 300 e 400m. Capacidade bruta de assentos: 7.500

  • Parque Radical do Rio

    Estádio de Canoagem Slalom

    CS

    O Estádio de Canoagem Slalom será construído para receber as competições do esporte e ficará localizado dentro do Parque Olímpico de Deodoro, em uma área conhecida como Parque Radical. Um percurso permanente, com 280 metros de corredeiras. Capacidade bruta de assentos: 8.000

     

  • Parque Radical do Rio

    Pista de Mountain Bike

    CM

    A Pista de Mountain Bike ficará localizado dentro do Parque Olímpico de Deodoro, em uma área conhecida como Parque Radical. Será construído um percurso para esta modalidade do ciclismo com cerca de 6.000 metros de extensão, além de diferenças significativas de altura e um circuito que permitirá aos competidores passar pela plateia mais de uma vez durante a prova. Capacidade bruta de assentos: 5.000 + 20.000 em pé

     

  • Riocentro

    Pavilhão 2

    WL PO

    Com área total de 13.000 m², o Pavilhão 2 do Riocentro será a instalação do levantamento de peso e do halterofilismo. Capacidade bruta de assentos: 6.500

  • Riocentro

    Pavilhão 3

    TT TT

    No Pavilhão 3 do Riocentro, será implantado um conceito pioneiro composto por uma grande quadra central, proporcionando uma atmosfera única para atletas e espectadores que acompanharão de perto todas as disputas Olímpicas e Paralímpicas do tênis de mesa. Capacidade bruta de assentos: 6.500

  • Riocentro

    Pavilhão 4

    BD

    O Pavilhão 4 do Riocentro tem um pé direito de 12m e um moderno sistema de ar condicionado de baixa velocidade, proporcionando as melhores condições para receber as competições do badminton dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Com área total de 25.000m², essa instalação também irá acomodar todas as áreas de treinamento do esporte. Capacidade bruta de assentos: 6.500

  • Riocentro

    Pavilhão 6

    BX VS

    Um pavilhão temporário, que será construído em uma área de 14.000m² do Riocentro, foi o palco escolhido para sediar as disputas eletrizantes do boxe Olímpico e do voleibol sentado Paralímpico. Capacidade bruta de assentos: 9.000

  • Instalações
  • Instalação Existente
  • Futuras instalações
  • Instalações temporárias
  • Existentes
  • Principais Estradas
  • Ferrovias
  • Metrô
  • Integração
  • Em construção
  • BRT Transolímpica
  • BRT Transoeste
  • BRT Transcarioca
  • BRT Transbrasil
  • Metrô
  • Integração
  • Transportes
  • Porto
  • Estação das Barcas
  • Rodoviária Novo Rio
  • Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro
  • Aeroporto Doméstico do Rio de Janeiro