Notícias

14/02/2014

Rio Open traz elite do tênis mundial à cidade dois anos antes dos Jogos Rio 2016

Rio de Janeiro recebe o maior torneio do esporte já realizado no Brasil e faz história na América do Sul

Enviar para um amigo

Atual número um do mundo, o tenista espanhol Rafael Nadal promete ser a maior atração do Rio Open, primeiro ATP 500 a ser realizado na América do Sul (Foto: Getty Images/Clive Brunskill)
A dois anos da abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016, o Rio de Janeiro dá um grande passo no retorno ao calendário de grandes eventos do tênis mundial. A partir deste sábado (15), a cidade será palco do Rio Open, torneio da série ATP 500 que será realizado pela primeira vez na América do Sul. O evento, que acontece até o dia 23 de fevereiro no Jockey Club Brasileiro, na Gávea, conta com a participação de cinco tenistas que estão entre os top 20 do ranking mundial, incluindo Rafael Nadal, atual número 1 do mundo. O espanhol não esconde a expectativa para disputar o torneio e conhecer a cidade:
 
"É muito importante para o tênis da América do Sul que enfim tenhamos um ATP 500 aqui. É uma grande conquista para o Brasil e estou com muita vontade de jogar pela primeira vez no Rio de Janeiro. Já escutei muita coisa legal da cidade e agora finalmente vou ter a oportunidade de conhecer. Sempre que jogo mundo afora recebo um enorme carinho dos brasileiros", afirmou Nadal.

Atual número cinco do ranking, o também espanhol David Ferrer revela entusiasmo em ter o Rio de Janeiro como pano de fundo da competição:

“Esperamos muito por um torneio no Rio, a cidade que todo mundo quer estar, especialmente os esportistas. No momento que soube dos planos do Rio Open, sabia que entraria no meu calendário. Estou animado para jogar diante do público brasileiro e na cidade que sediará os Jogos Olímpicos”, disse Ferrer.

A realização do Rio Open e a proximidade dos Jogos Rio 2016 colocam a cidade em posição de destaque no cenário internacional. Valendo 500 pontos para o ranking da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), os torneios da série ATP 500 são os segundos em importância no calendário, à frente dos ATP 250 e atrás dos Masters 1.000 e das competições do Grand Slam (Aberto da Austrália, Roland Garros, Wimbledon e US Open).

Para receber as partidas de tênis nos Jogos Rio 2016, um estádio para cerca de 10 mil torcedores está sendo construído na Barra da Tijuca. Ao final do evento, a estrutura do Centro Olímpico de Tênis será parte de um dos principais legados esportivos dos Jogos: o Centro Olímpico de Treinamento (COT), que contribuirá para o desenvolvimento de atletas de alto rendimento e capacitará a cidade a continuar recebendo importantes eventos do circuito mundial no tênis e de outros esportes.

Para o tenista Bruno Soares, que representou o Brasil em Londres 2012 nas duplas, a realização de competições de alto nível no Rio de Janeiro contribuirá para o desenvolvimento do esporte no país.

“A realização de eventos deste porte tem muitos benefícios. Vamos receber grandes nomes do tênis no Rio de Janeiro e as pessoas vão ter a oportunidade de vê-los de perto, de testemunhar o alto nível desses atletas e de conhecer melhor o nosso esporte. Vai ser um momento muito importante para o tênis brasileiro. Mais do que atrair os fãs, que já acompanham todas as etapas do circuito mundial a cada ano, a realização dos Jogos Olímpicos e do ATP 500 representam grandes oportunidades de trazer para perto as pessoas que não conhecem bem o tênis. O Rio é agora o maior showroom que temos”, diz.

Para João Souza, melhor brasileiro no ranking da ATP, na 115ª posição, o tênis brasileiro ainda tem muito a crescer, e os Jogos Rio 2016 podem desempenhar um papel importante nesta evolução.

"Com um bom uso do Centro Olímpico após os Jogos Rio 2016, sem dúvida teremos um avanço no desenvolvimento dos tenistas brasileiros. Teríamos um espaço com diferentes tipos de quadras para treinar, com a infraestrutura que todos os jogadores necessitam para evoluir e temos a possibilidade de ter grandes competições em uma estrutura fixa, como a Copa Davis e outros eventos. Além disso, seria um local para treinos para equipes brasileiras treinarem juntas para grandes competições fora. Tem tudo para fazer crescer muito o tênis brasileiro", afirmou.

O atleta, conhecido como Feijão, é um dos dois brasileiros convidados a entrar diretamente na chave principal de simples – o outro é Thomaz Bellucci, que já foi número 21 do mundo e ocupa atualmente a 122ª colocação.

Do top 20 do ranking mundial masculino, além de Nadal e Ferrer, também participam do Rio Open o italiano Fabio Fognini (14º) e os espanhóis Tommy Robredo (17º) e Nicolás Almagro (18º). Além de Bellucci, Feijão e Bruno Soares, o Brasil também estará representado pelos duplistas Marcelo Melo, atual número cinco do ranking da modalidade, e André Sá. No torneio feminino, o destaque é Teliana Pereira, que recolocou uma tenista do país no top 100 do circuito profissional feminino pela primeira vez em 23 anos – ela atualmente é a 92ª colocada. 

Enviar para um amigo

Filtrar em Notícias

Newsletter

Cadastre-se e receba por e-mail as últimas notícias do Rio 2016.

+
Notícias

RSS de notícias

Fique sabendo imediatamente quando uma nova informação é publicada.

+ASSINE JÁ