Notícias

29/01/2014

Hugo Hoyama, ícone do tênis de mesa, encara novo desafio rumo aos Jogos Rio 2016

Principal atleta brasileiro da modalidade assume o comando da seleção feminina e luta pela classificação da equipe

Enviar para um amigo

Hugo Hoyama deixou as competições internacionais para assumir o comando da seleção feminina (Foto: Buda Mendes/Getty Images)

Após mais de 35 anos como atleta, Hugo Hoyama - principal ícone do  tênis de mesa brasileiro - encara um novo desafio à frente do esporte. O paulista de 44 anos assumiu, no ano passado, o posto de técnico da seleção feminina de tênis de mesa. Seu objetivo: qualificar a jovem equipe brasileira e buscar um bom resultado nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Integrante da seleção brasileira desde 1985, Hugo é um dos recordistas brasileiros em participações Olímpicas - ao lado de Torben Grael e Rodrigo Pessoa - com seis campanhas. Em mais de 20 anos defendendo as cores do Brasil, conquistou 15 medalhas pan-americanas, sendo 10 de ouro.

Agora, o paulista, que seguirá participando de competições nacionais como atleta, quer passar toda sua experiência para a jovem equipe brasileira.

“Após os Jogos de Londres, eu reduzi meu ritmo de treinamento e, por isso, sabia que o rendimento não seria mais o mesmo. Assim, concluí que a melhor forma de seguir ajudando o tênis de mesa brasileiro seria na função de técnico. Estou muito animado para passar minha experiência para as meninas e ajudar a seleção brasileira a ter bastante sucesso”, comenta Hugo, que faz um balanço positivo do primeiro ano como comandante do grupo brasileiro.

“Conseguimos participar de muitas competições, o que é bom, e tivemos resultados positivos no Campeonato Latino-Americano e uma vitória importante no Mundial, da Caroline Kumahara sobre uma atleta que estava entre as dez melhores do mundo (a japonesa Kasumi Ishikawa, nona melhor do mundo). Além disso, foi um ano fundamental para eu me adaptar a esta nova função e estabelecer a relação de treinador com as atletas, que até ano passado me viam como um companheiro de treinos”, explica.

Hugo Hoyama orienta Lídia Silva durante o Campeonato Mundial de 2013 (Foto: CBTM)

Em 2014, as principais competições serão os Jogos Sul-Americanos, o Campeonato Latino-Americano e o Campeonato Mundial. Em médio prazo, o maior desafio é uma boa participação nos Jogos Rio 2016. Mas, até lá, Hugo faz o planejamento passo a passo:

“Neste ano, queremos levar as atletas para dois ou três períodos de treinamento fora do país, o que vai ser muito importante para o crescimento delas. Em 2015, nossa meta é conquistar a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos. Pensar em uma medalha nos Jogos Olímpicos ainda está um pouco distante para o tênis de mesa feminino do Brasil, mas temos condições de fazer um bom papel, de conseguir vitórias importantes e seguir melhorando”, aposta.

Com a experiência de seis edições dos Jogos Olímpicos, disputados em quatro continentes diferentes, Hugo aposta na energia e no calor do povo brasileiro como grande diferencial dos Jogos Rio 2016.

“Tenho certeza que tudo vai funcionar perfeitamente. Faço parte do Conselho de Esportes  do Comitê Rio 2016 e tenho acompanhado de perto toda a evolução. O brasileiro é um povo quente, que recebe bem as pessoas e gosta muito de torcer”, completa.

Enviar para um amigo

Filtrar em Notícias

Newsletter

Cadastre-se e receba por e-mail as últimas notícias do Rio 2016.

+
Notícias

RSS de notícias

Fique sabendo imediatamente quando uma nova informação é publicada.

+ASSINE JÁ