Cultura Carioca

Vida ao ar livre

Enviar para um amigo

Happy hour do Largo dos Teles

Tradicional do centro da cidade do Rio de Janeiro, o happy hour ao redor do Largo dos Teles não tem dia da semana para acontecer! Seja segunda ou sexta-feira, você sempre encontrará mesinhas espalhas pelas ruas do Ouvidor, do Mercado e dentro do próprio Largo dos Teles.

É a forma que os cariocas têm de relaxar depois de um dia de trabalho, apreciando um chope gelado com os deliciosos petiscos tipicamente cariocas, jogando conversa fora e curtindo o clima cidade, perfeito para atividades ao ar livre. E você ainda aproveita a companhia dos amigos num dos pontos mais agitados do Polo Histórico, Cultural e Gastronômico da Praça Quinze.

Esportes ao ar livre

Com belíssimos cenários da zona norte a zona sul, a cidade do Rio de Janeiro é um convite aos  moradores e visitantes para a prática de exercícios ao ar livre. O frescobol, tradicional esporte criado na praia de Copacabana na década de 50, tornou-se apenas mais uma das diversas atividades de lazer praticadas pelos cariocas em dias ensolarados, no verão e no inverno.

As ruas de Copacabana são excelentes para uma pedalada noturna e os finais de tarde em toda orla carioca, perfeitos para uma partida de vôlei ou futevôlei. O futevôlei possui algumas características do futebol - o jogador pode tocar a bola com qualquer parte do corpo exceto braços, antebraços e mãos - e do voleibol – o jogo é disputado em sets e cada time só pode dar no máximo três toques.

Existem atividades ainda mais inusitadas, como a prática do slack line, em que os praticantes andam sobre uma corda bamba, amarrada a dois extremos. Nas praias do Rio é comum encontrar praticantes se equilibrando entre coqueiros, de frente para o mar.

Outro exemplo é prática de wakeboarding na Lagoa Rodrigo de Freitas, com vista privilegiada para o Cristo Redentor, as montanhas da Floresta da Tijuca e a Pedra da Gávea.

Pôr-do-sol na Praia do Arpoador

Famosa pela pedra que invade o mar de mesmo nome, a pequena praia do Arpoador possui cerca de 500 metros e se localiza entre o forte de Copacabana e a praia de Ipanema. Proporciona uma das vistas mais deslumbrantes do Rio: o sol se pondo atrás do Morro Dois Irmãos, com as praias de Ipanema e Leblon como cenário.

Esse momento inesquecível faz parte do cotidiano dos frequentadores da zona sul. Entre os meses de outubro a fevereiro, quando a cidade está no horário de verão, é comum ver os cariocas saírem do trabalho e irem direto para a praia simplesmente para aplaudir esse espetáculo da natureza.

Prédios históricos, igrejas e espaços culturais

Boa parte da história do Brasil mantém-se viva no Rio de Janeiro. Belos prédios dos séculos 19 e 20 abrigam museus, igrejas e centros culturais que remontam a história da cidade e a cultura do país. Há uma grande variedade de espaços que oferecem exposições temporárias, mostras de cinema, apresentações de música, teatro e dança.

O Museu de Arte Moderna representa um marco na arquitetura brasileira. Os trações do arquiteto Affonso Eduardo Reidy e o projeto paisagístico de Roberto Burle Marx resultou em um dos espaços culturais mais renomados do Rio de Janeiro. Inaugurado em 1958 e reativado em 1990, o museu sedia grandes exposições nacionais e internacionais.

Entre as igrejas e espaços para prática religiosa, a Catedral Metropolitana, inaugurada em 1979, destaca-se pela grandiosidade e modernidade do projeto arquitetônico em forma de cone. São 75 metros de altura e 106 metros de diâmetro externo, com capacidade para 20 mil pessoas em pé. No interior, os vitrais coloridos deslumbram qualquer visitante.

Outro cenário antológico do Rio de Janeiro é o da Ilha fiscal. O local, que foi posto alfandegário até 1913, ficou famoso por sediar o último baile do Império, em novembro de 1889, no palacete da ilha. A construção remete a um castelo em estilo neogótico é aberta para visitação e o acesso é feito através de escunas que partem do Espaço Cultural da Marinha, no centro do Rio.

Imperdível para os amantes de arte contemporânea, o prédio que funcionou como sede e agência do Banco do Brasil até 1989, atualmente encontra-se reformado para abrigar um dos mais badalados espaços culturais e artísticos da cidade. Localizado na avenida Presidente Vargas, próximo a famosa Igreja da Candelária, reúne biblioteca, cinema, teatro, livraria, loja, salão de chá e restaurante, além dos espaços para exposições temporárias.

Notícias

RSS de notícias

Fique sabendo imediatamente quando uma nova informação é publicada.

+ASSINE JÁ